terça-feira, 17 de outubro de 2017

Meios de transporte

O 4º ano do C.E.B. Arthur Bruno Jandt  no 3º bimestre iniciou os estudos com o tema “meios de transporte”, com a leitura de deleite Na janela do trem, onde puderam conhecer um pouco sobre um dos meios de transporte utilizado no passado e ainda nos dias atuais, entre varias atividades realizadas os alunos puderam refletir sobre a importância dos meios de transporte e os benefícios que eles nos proporcionam. A atividades que teve maior destaque foi o passeio a campo realizado no sitio da dona Fátima onde puderam ouvir as histórias contadas pelo Sr Luiz sobre como era realizado os transportes a anos atrás, e ainda tiveram a oportunidade de conhecer de perto uma carroça, uma zorra, estes que ainda servem de meio de trabalho para a família do Sr Luiz e dona Fátima. Foi um trabalho maravilhoso, houve muita participação, colaboração e entendimento dos conteúdos.

Prof. Carlane Goede 





Jogos da multiplicação

CEB Alberto Balduíno Barchfeld
3° ano 

Jogos da multiplicação

Objetivo: Aprofundar o conceito de multiplicação através de jogos.

No mês de setembro os alunos do 3º ano do C.E.B. Alberto Balduíno Barchfeld  realizaram atividades lúdicas com jogos como pião da multiplicação, jogo da velha da multiplicação e corrida da multiplicação a fim de promover uma aprendizagem significativa através de jogos . Após participar do jogo, o aluno deve escrever seu nome e fazer o registro no papel. Foram atividades produtivas, onde através do lúdico souberam compreender e resolver as questões matemáticas.


Prof. Carlane Goede 



terça-feira, 10 de outubro de 2017

CEB Arthur Bruno Jandt
2° ano 

Jogo das multiplicações

Objetivo: Aprofundar o conceito de multiplicação através de jogos.

O jogo é composto por 10 garrafas pet com valor de numeral 2, o aluno deve arremessar a bola e contar quantas garrafas derrubou e pensar quantos pontos atingiu, ex: derrubou 4 garrafas x 2 pontos cada, logo temos 4 x 2, após jogar, o aluno deve escrever seu nome e fazer o registro no papel. Foi uma manhã produtiva, onde através do lúdico souberam resolver as questões matemáticas.

Prof. Crisneide PC dos Santos 





quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Coordenação motora na Educação Infantil

Coordenação motora fina

A função de escrever, fazer desenhos, pinturas, colagens, recortar papel, fazer traçados em folhas são apenas algumas atividades que podem ser feitas graças à coordenação motora fina. Ela é responsável pelo trabalho de pequenos músculos, localizados, principalmente, nas mãos e nos pés.
É imprescindível que os exercícios estimulantes sejam aplicados gradativamente, respeitando a idade da criança. O aconselhável é que se promovam exercícios que sigam do mais fácil ao mais difícil.

Coordenação motora grossa

Já o que dá força para a criança correr, pular, dançar, caminhar ou qualquer outra atividade responsável pelo impulso físico encontra na coordenação motora grossa a razão para essas tarefas.
Ela abrange todos os músculos que possibilitam os pequenos a essas brincadeiras. Assim como a fina, a coordenação motora grossa também precisa ser estimulada desde a primeira infância. Vale lembrar que também podemos concebê-la como coordenação motora ampla.
Disponível em: https://neurosaber.com.br

Algumas crianças ainda não possuem a habilidade com a coordenação motora, para auxiliar a sanar essa dificuldade confeccionei uma pista de carrinho em zig e zag para  brincar e desenvolver a coordenação.

Produção de alimentos no Brasil

           No mês de setembro, o 4° ano do C.E.B. Alberto Balduíno Barchfeld estudou a produção de alimentos no Brasil. Sendo assim, não poderíamos deixar de aprender sobre a cana-de-açúcar, que foi a primeira cultura implantada em terras brasileiras para fins comerciais e também sobre seus derivados.
          A cana-de-açúcar se desenvolveu muito bem no Brasil por causa do clima quente e úmido e do solo fértil. O cultivo era barato por causa da mão de obra escrava e todo o açúcar aqui produzido era enviado para Portugal, que vendia para a Holanda que refinava o açúcar e o transformava nos famosos cubinhos de açúcar, ainda hoje visto nos filmes europeus e americanos.
           Esse tempo passado foi o século XVI, dos anos 1532 a 1600. O Brasil ainda era colônia de Portugal. A produção de açúcar torna-se a mais rentável do Planeta e faz do Brasil seu maior exportador mundial. (Fonte: Coleção Caminhos Sefe, livro n° 11, Curitiba 2011).

           Para alegrar a turma, cubinhos de açúcar para todos e um cubinho para levar para casa e mostrar para a família.



sexta-feira, 29 de setembro de 2017

A magia da paciência com as duas turmas

CEI CHARLOTTE ILSE SCHLINDER

 A partir da participação na  formação do PNAIC, fomos desafiadas a elaborar  uma sequencia de atividades, com foco no letramento a partir de uma historia ouvida pelas colegas de outra unidade de Educação Infantil. Que segue aqui relatada:
Contamos a historia: A magia da paciência com as duas turmas juntas( pré 1 e pré 2) , para contar a história uma das professoras foi a narradora e utilizamos os  fantoches para dramatização.
Em seguida com o objetivo de desenvolver a oralidade, a articulação das palavras e também a formação de frases; cada criança pôde escolher um dos personagens (búfalo, macaco e elefante) e fazer uma pergunta a ele.
Na sequência as turmas foram separadas de acordo com a faixa etária:
A turma da borboletinha (pré 2), realizou como proposta de atividade de letramento a escrita coletiva de um bilhete mandando um  recado para o macaco sobre o que pensavam de suas atitudes, o professor foi o escriba.  
Desenvolvimento: A escrita do bilhete inicialmente foi no quadro, e ao final questionei como vamos mandar para o macaco assim? Eles então me disseram que precisaríamos escrever na folha. Durante a escrita do bilhete surgiu à ideia de que cada um poderia dar uma ideia para o macaco, para que ele e o búfalo pudessem fazer juntos e se tornarem cada vez mais amigos. Então, através de desenhos feitos com giz de cera cada criança representou sua sugestão, com o desenho pronto eu novamente fui a escriba deles, e depois colamos as folhas uma na outra, mandando assim para o macaco uma grande carta.
Resultados obtidos: Foi sem dúvida uma atividade prazerosa para as crianças, ficaram envolvidos, e muito cheios de imaginação se empenharam em dar sugestões aos animais. Durante as atividades, nas conversas entre eles, surgiu a questão: “mas que o macaco não sabe ler, e outra criança respondeu “a mãe dele lê pra ele.” Depois de pronta nosso bilhete/ carta, logo sugeriram pra entregar tem que dar pra dona do livro, pois ela com certeza sabe onde fica esta floresta. O mundo da imaginação e a função social da escrita se entrelaçaram nesta proposta de trabalho, tal qual como é o universo infantil. 
 A turma da joaninha (pré 1), realizou como proposta de atividade de letramento a escrita coletiva de combinados da floresta, o professor foi o escriba.
Desenvolvimento: A escrita dos combinados inicialmente foi escrita em papel duplex, depois pensamos em fazer um cartaz, desenhamos uma arvore com folhas, flores e algumas borboletas imaginaram que era assim a floresta onde moravam o búfalo, o macaco e o elefante, pintamos com guache e montamos em papel pardo o nosso cartaz com os combinados da floresta.
Resultados obtidos: Foi sem dúvida uma atividade prazerosa para as crianças, ficaram envolvidos, e cheios de sugestões pra criar as regras e dar sugestões ao macaco, que ele não deveria fazer o que fez com o búfalo, pois era muito feio fazer o que ele estava fazendo. E assim com essas regras ele teria que respeitar os amigos da floresta.

Professoras: Neide Schweder e Sueli Schvambach