quinta-feira, 31 de agosto de 2017

TRABALHANDO A MULTIPLICAÇÃO

TRABALHANDO A MULTIPLICAÇÃO


                Trabalhando o conceito da multiplicação, a turma do 3º ano do CEB Eginolf Bell desenvolveu  o Jogo da multiplicação  que tem como objetivo a compreensão da ideia de adicionar parcelas iguais na multiplicação. E o jogo  Cubra o dobro com o objetivo de trabalhar o conceito de dobro, e agilizar o cálculo do dobro de um número.  
Professora: Neide Ap. F. Schweder


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

“Garrafinha da Fadinha”

Com a magia das fadas realizamos atividades sensórias com bolinhas de gel. Após observarmos seu aumento de tamanho, sua textura, sua cor e manuseá-las. Aproveitamos para falar sobre o bom comportamento, como devemos nos comportar no CEI, com os colegas e professoras. Montamos as garrafinhas da calma. “Garrafinha da Fadinha”. Foi uma vivência muito divertida, pois além das crianças aprenderem novos conceitos se divertiram muito.
“Nas mãos das crianças o mundo vira um conto de fadas, porque na inocência do sorriso infantil, tudo é possível, menos a maldade. De braços abertos à criança não cultiva inimigos, sua tristeza é momentânea. De olhos abertos à criança não enxerga o feio, o diferente, apenas aceita o modo de ser de cada um que lhe dirige o caminho. De ouvidos atentos à criança gosta de ouvir tudo como se os sons se misturassem formando uma doce vitamina de vozes, vozes que ela pode imitar se inspirar para crescer. Questionando, brincando, a criança está sempre evoluindo, achando esse mundo um Paraíso”.
Autora Rosana Pinheiro dos Santos.












terça-feira, 29 de agosto de 2017

Ampliando o sistema de numeração decimal.

Ampliando o sistema de numeração decimal.

As turmas dos primeiros anos dos C.E.B.Arthur Bruno Jandt e Eginolf Bell concluíram nesta semana uma sequência didática que visou ampliar o conhecimento a respeito do sistema de numeração decimal e sua organização para dezenas e unidades além de identificar regularidades na sequência numérica.
Para tanto, foram realizadas atividades de sistematização no livro e caderno, utilizamo-nos do material dourado para composição de números e realizamos jogos de agrupamento: Nunca 10 e o jogo das mãozinhas, acompanhados dos respectivos registros, onde foi possível perceber a organização decimal.
O jogo da trilha, realizado na quadra nos possibilitou observar   a sequência numérica de forma divertida, e no jogo do bingo cada um pode demonstrar o conhecimento adquirido.
Finalizamos produzindo coletivamente um cartaz com a sequência numérica até 50 de apoio para a sala.
Professora: Aline Liana Jabs.




sexta-feira, 25 de agosto de 2017

PROJETO MORADIA


ASSIM COMO A FAMÍLIA, A CASA TAMBÉM É O PRIMEIRO PONTO DE REFERÊNCIA DA CRIANÇA. NO CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL ELA AMPLIA A SUA NOÇÃO DE ESPAÇO.
E COMO CADA CRIANÇA TRAZ CONSIGO SEUS CONCEITOS DE CASA/MORADIA, DENTRO DO PROJETO IDENTIDADE “TUDO SOBRE MIM” FIZEMOS UM TRABALHO VOLTADO PARA QUE AS CRIANÇAS CONHEÇAM OS DIFERENTES TIPOS DE MORADIA EXISTENTES, EXPLORANDO A ORALIDADE ATRAVÉS DE MÚSICAS PASSEIOS, REGISTROS ATRAVÉS DE DESENHO DA MORADIA DE CADA CRIANÇA; TRABALHAR HISTÓRIAS QUE SE RELACIONEM COM O TEMA; RELACIONAR OS MATERIAIS QUE SÃO USADOS PARA CONSTRUIR MORADIAS; PRODUZIR TRABALHOS ARTÍSTICOS COMO DESENHOS, COLAGENS SOBRE O TEMA, CONHECER SEU ENDEREÇO RESIDENCIAL...


Professora : Josiane Venancio
Auxiliares: Janaína dos Santos (vespertino)

Janete Alves (Matutino)





quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Jogo do Sapinho

CEB. Alberto Balduino Barchfelf.
Professora: Débora Klaumann.
1º ano.
Colocando em prática.

O jogo, como recurso didático, possibilita desenvolver a afetividade que potencializa o ensino-aprendizagem. Resgata o componente lúdico que há no trabalho com projetos e que propicia um ensino voltado para a ação, a pesquisa, a vivência de experiências irreais que são transportadas para a vida real.




quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Repensando a rotina no dia a dia da creche

Repensando a rotina no dia a dia da creche

Nossa rotina aos poucos vai ficando mais alegre, participativa e autônoma. Servir-se seja em foram de bife ou num piquenique. Explorar o espaço externo, criar os próprios circuitos, coletar, fazer coleções, decorar o próprio ambiente são ações na Turma do Gatinho que tem encantado e tornado os dias mais prazerosos. As crianças são investigadores por natureza, dando apoio e instigando a curiosidade nos devolvem pesquisando e trazendo do seu dia a dia. Seja o caracol do Jardim que um amigo trouxe, após ouvir o poema Leilão de Jardim de Cecília Meireles e logo após visitarmos um jardim. Seja pelas pedrinhas trazidas para produzirmos som e que criou múltiplas funções.
Casinhas, barracas, estradinhas no barro, circuitos criados pela própria turma, coleta brincadeiras com sementes e frutas, tornam-se cada vez mais presentes.
Criando alternativas e lidando com o desafio da educação aprendente, que precisa se renovar e se reestruturar a todo o momento. Aos poucos transformando a rotina.  



Quando eu fico bravo...

Quando eu fico bravo...

Sequência trabalhada a partir da coleção “Quando eu fico bravo”... de Dora
Lorch e Ruth Rocha.

Esta obra foi baseada em duas teses, demostrando que certos conflitos leves
podem ser elaborados enquanto as crianças escutam histórias relacionadas às
angústias/momentos que estão passando. A coleção contém quatro livros: Quando
fico bravo Vou embora, Quando fico bravo Eu penso melhor, Quando eu fico bravo Eu
choro, Quando eu fico bravo Eu brigo. São quatro livros que contam situações que
acontecem no dia a dia da criança sendo em casa ou no C.E.I. com a intenção de
tornar conscientes alguns comportamentos e suas consequências.
No decorrer das atividades oportunizou–se aos pequenos entender melhor
sentimentos e emoções cotidianas e consequentemente de que forma podemos lidar
com eles. Através de brincadeiras, músicas, movimentos, arte e o ensinar a pensar,
realizando ações que nos acalmam, por meio de rodas de conversas, momentos de
Shantala (técnica de massagem descoberta por Frédérick Leboyer, e consiste num
momento diário de afeto) massagens em grupo, sons da natureza e músicas clássicas
durante as realizações de atividades, imagens e expressões faciais defronte ao
espelho, brincamos com a música: Cara de bem, cara de mau... e o método Montessori
(utilizado para relaxar as crianças em momentos de agitação, estresse,
desconcentração e irritação) com a realização do pote da calma.

“A ajuda que o adulto da à criança também muda sua vida. Quer dizer, muda a
vida de ambos. A isso chamamos de crescimento”. (Dora Lorch e Ruth Rocha).

Professara: Taina Küster
C.E.I. Menino Jesus.
Turma da Girafa.



terça-feira, 22 de agosto de 2017

Bullying não é BRINCADEIRA

Centro d                Centro de Educação Básica Erica Hasse
Professora: Aline Finardi
Disciplina: Matemática
Tema: A Escrita na Matemática: Bullying não é BRINCADEIRA
Séries: 7ª, 8ª e 9° ano do Ensino Fundamental


Objetivo:
·          Conceituar o Bullying e suas diversas modalidades;
·         Levar a conscientização da prática do Bullying e suas consequências;
·         Promover no aluno que existem vários tipos de pessoas e devem ser respeitadas.

Metodologia:

·         Apresentar para os alunos qual o objetivo, e como será o procedimento do trabalho (pesquisa, desenho do gráfico em cartaz e apresentação).
- Assistir alguns vídeos e slides sobre o tema BULLYING;
-Discutir sobre o tema;
- Dividir a turma em equipes;
- Determinar uma pergunta para cada equipe, sobre o tema BULLYING;
- A equipe irá às outras turmas coletar os dados para conclusão da pesquisa e confecção do cartaz.

- Observação: os alunos do 7º ano discutiram sobre o assunto e desenharam sobre o BULLYING, os alunos do 8º ano confeccionaram o cartaz com o gráfico de barras, os alunos do 9º ano, o gráfico de pizza com as devidas porcentagens calculadas.

Avaliação:

·         A avaliação se dará pelo interesse e participação do aluno, nas atividades propostas realizadas em equipe, pelo cartaz confeccionado e sua apresentação.  







sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Coordenação Motora

Desenvolvendo  atividade com vários tipos e tamanhos de potes que foram trazidos de casa conforme pedido em bilhete para que os Pais colaborassem nos enviando, com isso a criança desenvolve a coordenação motora como abrir e fechar usando as tampas,observar tipos diferentes etc...
Gratidão. 




Obrigada pela colaboração.
Turma:BII

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Convite para Desfile e Homenagem Cívica de Sete de Setembro





Convite para homenagem cívica  e desfile  de 07  de setembro/2017

            Vimos através deste convidar sua associação, para participar  conosco  da  homenagem  e do desfile cívico. Acontecerá  no  dia  07/09/2017  com início ás  8h e 30 min. no coreto da praça central da cidade, logo após  haverá  desfile  com trajeto do  viaduto  até a igreja católica Cristo Rei.
            Aguardamos seu retorno  por ofício, e-mail  ou telefonema  (3544-1268) até o dia 31/08/2017 para que possamos  organizar  a ordem do desfile, bem como repassar demais  informações.
            Para nós  a participação de sua entidade é muito importante pois  abrilhantará o evento e estaremos dando uma demonstração de civismo.

                                                           Atenciosamente



Trombudo Central, 14  de  agosto de 2017

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A Linguagem dos Sons

A Linguagem dos Sons

A proposta foi de trabalhar a percepção musical, os sons do cotidiano, da natureza, explorando a paisagem sonora, e introduzindo noções de elementos  musicais, como melodia, harmonia e ritmo.
Os alunos do 5º ano da CEB Eginolf Bell, em suas aulas de arte, com a professora Bianca, desenvolveram os conceitos musicais de altura, duração, intensidade e timbre. Foram realizadas diversas atividades em sala para a compreensão de tais conceitos. Como forma de colocar em prática o que foi desenvolvido em sala, os alunos, com auxílio de familiares e amigos, deveriam criar um instrumento musical, algo que produzisse som, de preferência com materiais recicláveis. Este instrumento deveria ser apresentado à professora e colegas de classe. o resultado foi muito bom, os alunos fizeram trabalhos muito bonitos e que produziam os mais variados sons.





terça-feira, 15 de agosto de 2017

Dia da família


No sábado dia 12 de agosto, realizamos o Dia da Família no CEI Charlotte Ilse Schindler. Foi uma tarde de muita alegria e parceria entre família e escola. As crianças animadas dramatizaram a história Romeu e Julieta, da escritora Ruth Rocha, história que fala da diversidade e dos respeitos às diferenças. Houve ainda muita cantoria e ao final das apresentações entregaram às famílias uma muda de flor, lembrando a elas que precisamos plantar aquilo que queremos colher, e que as crianças assim como as plantas precisam ser cuidadas e cultivadas através do respeito, segurança e diálogo.
Depois juntos puderam saborear um delicioso café e participar do sorteio da contribuição espontânea realizada pela APP.

Professoras:  Neide Schweder e Sueli Schwambach
Estagiária: Maria de Lourdes Miles

  






Vivências significativas na Educação Infantil

A sala de referencia da Educação infantil pode ser um ambiente de letramento, onde através de vivências significativas se promova situações de uso real da escrita e que tenham efetiva participação das crianças.
O projeto “Meios de comunicação” proporcionou as crianças da Turma da Estrelinha diferentes vivências que ficarão guardadas para sempre em suas memórias.
 Visitamos a Biblioteca Pública Municipal para pegar um livro emprestado, no momento de assinar o nome no livro de empréstimo era visível a alegria das crianças em utilizar à escrita. Fomos ao correio postar uma carta, que foi elaborada pela criança e a professora como escriba anotava tudo, olhinhos vibrantes e ouvidos atentos a explicação do gerente do Correio.
Tivemos contado com diversos portadores textuais e o que despertou maior interesse foi o jornal. Então fomos ao parque e sentados em tapetinhos de jornal ouvimos a história “O JORNAL”, de PatriciaAuerbach. Uma história apenas de imagem onde um menino tenta descobrir o que o jornal tem de tão especial que seu pai não o larga. Quando ele começa a brincar com o jornal descobre a resposta... garoto viaja pelo mundo sem sair de casa...As crianças embarcaram nesta viagem e foram convidadas a vivenciarem a história e como o personagem principal puderam fazer de conta que estavam surfando com uma prancha em grandes ondas...transformaram num barco pirata e remaram até uma ilha deserta...dobraram e fizeram um chapéu de soldado...enrolaram e fizeram uma espada.Ao final da história foram convidadas para dançarem com o jornal. E como um passe de mágica se transformaram em pássaros colocando o jornal contra o tórax e correndo de braços abertos brincaram livremente explorando todos os espaços do parque. O brinquedo construído foi levado para casa. Neste dia nasceu a vontade de produzir um livro onde as crianças seriam as autoras e ilustradoras. Percebe-se que ao desenvolvermos vivencias que não se encerram ao final do dia, mas que a cada dia é uma nova etapa, a aprendizagem torna-se mais significativa e desafiadora, pois instiga a curiosidade das crianças para o que acontecerá no dia seguinte. E foi o que aconteceu...
                No dia seguinte a professora levou o note bock para a sala de referencia e digitou a nova história recontada pelas crianças. Depois de imprimida a história foi colada em folhas coloridas e iniciou-se a grande equipe de produção para ilustrarem o livro. Cada página ganhou vida com a colaboração de todas as crianças da turma viu-se neste momento nascer um grande trabalho em equipe, quando um não conseguia de um jeito o outro ajudava como podia.
                Ao se trabalhar com o jornal abriu-se a possibilidade de (re)aproveitamento deste material, utilizando-o como recurso didático alternativo na produção infantil. Com a (re)utilização das folhas de jornal estávamos preservando o ambiente em que vivemos. O aproveitando de materiais de sucata motiva a criação de novos objetos significativos para as crianças e desperta a satisfação em conseguir realizar tarefas e vencer desafios.
Promover experiências significativas com a linguagem oral, escrita e visual utilizando como recurso o jornal garantiu acesso ao conhecimento e ao mundo letrado, bem como o respeito à natureza através do (re)aproveitamento.
Foi uma experiência maravilhosa e que parece não ter fim, pois agora esta nova história será contada para todas as turmas do CEI no momento de socialização do Programa de Leitura.
Para as crianças, as produções são uma forma divertida e deixam lições para a vida toda. “Com esta história vi que temos que cuidar do nosso Planeta, não jogando papel no lixo e sim aproveitando se não as árvores vão se acabar e as plantas não vão sobreviver”, concluiu VitóraHeiderscheidt, 5 anos.

Professora Simone Deve






EU TENHO UM NOME

EU TENHO UM NOME

Dentro do projeto identidade “Tudo sobre mim” tivemos a oportunidade de conhecer um pouquinho sobre a história do nome de cada criança. Quem escolheu e o que significa. As crianças também tiveram o desejo de começar a traçar o nome com auxílio de crachá. Outros já conseguem escrever sozinhos.
As crianças que já possuíam levaram para o CEI o seu documento de Identidade e neste momento pudemos observar e perceber características individuais de cada criança, como a cor do olhos, cor dos cabelos etc. Todos estes aspectos nos fazem diferentes uns dos outros e especiais ao mesmo tempo. Nesta mesma oportunidade confeccionamos uma identidade do nosso jeitinho o que causou muita satisfação para toda a turma.

Turma da Arca

Professora Josiane Venancio
Auxiliares: Janaina dos Santos
                 Janete Alves

               



segunda-feira, 14 de agosto de 2017

As crianças do C. E. I Johanne Scutte se divertiram muito com a nova brincadeira. 
objetivo principal, trabalhar equilíbrio, coordenação motora e noção espacial.
professora Katiani de Brito